COPA DO MUNDO 1

URUGUAI
Com a aprovação do treinador, Loco Abreu segue sua trilha de 'cavadinhas'
Entusiasmado, apesar da reserva na Celeste, atacante do Botafogo repete, na Copa do Mundo, lance com sua marca registrada e arranca elogios de Tabárez


Em jogo dramático Uruguai despacha Gana nos penaltys e avnça as semi-finais e agora vai encarar a Holanda. Gana desperdiça um penalti com Assamoah Gyan no último minuto do 2° tempo da prorrogação e depois perde a vaga nas disputa de penaltys.


"Não foi loucura, foi gol". Assim o técnico do Uruguai, Oscar Tabárez, definiu um dos desfechos de jogo mais emocionantes da Copa do Mundo da África do Sul: a "cavadinha" do atacante Loco Abreu, na quinta cobrança uruguaia na disputa de pênaltis contra Gana. O toque sutil do camisa 13 no meio do gol de Kingson consolidou a vitória da Celeste por 4 a 2, nas penalidades máximas (no tempo regulamentar o placar foi 1 a 1), e serviu como conclusão perfeita para os dramáticos momentos finais da partida que classificou o time às semis, onde enfrentarão a Holanda, na terça-feira. Antes disso, os uruguaios já haviam assistido incrédulos à salvadora mão de Suárez, sobre a linha, que evitou a eliminação no último minuto da prorrogação. Expulso, o atacante viu de fora do campo o ganês Gyan desperdiçar a bola do jogo, carimbando o travessão de Muslera.

- É o meu jeito de bater. Tenho confiança para cobrar assim e o grupo confia em mim - explicou o atacante.

Sorridente, Loco Abreu entra em campo com sua inseparável filmadora, antes do duelo com a anfitriã África do Sul, pela primeira fase da Copa do Mundo (Foto: Getty Images)
Se conhecesse um pouco melhor a carreira do atacante do Botafogo - que apesar da reserva na seleção, não esconde o entusiasmo por fazer parte do grupo uruguaio no Mundial e frequentemente pode ser visto sorridente com sua filmadora nos momentos que antecedem os jogos do Mundial - Kingson talvez não tivesse pulado para o canto direito no chute decisivo de Abreu.
Nesta sexta-feira, o heroico Loco ainda recebeu os elogios de Tabárez, que preferiu ignorar o teor de imprudência da cobrança ousada do atacante para exaltar a categoria do bem-humorado torcedor do Nacional-URU.- Eu chamo isso de classe, de categoria. Os que o criticam não teriam essa coragem. Por que ele não pode cobrar um pênalti assim?

Nenhum comentário

Patrocinadores

Patrocinadores